Estudos justificam investimentos de Minas Gerais no turismo religioso

O famoso pico do Itambé, na região mineira do Serro, visto a partir de campanário de igreja

O famoso pico do Itambé, na região mineira do Serro, visto a partir de campanário de igreja

Paulatinamente muitos governos estaduais estão passando a dar cada vez mais atenção ao turismo religioso e aos brasileiros que fazem viagens religiosas e peregrinações. Infelizmente, ainda não é uma postura da maioria dos estados nem tem se mostrado persistente, mas já é bastante quando se considera o que era feito anteriormente.

Um dos governos que se conscientizaram da importância do turismo religioso é o de Minas Gerais, que tem desenvolvido diversas ações para apoiar e estimular a atividade.

Esse apoio não é motivado por razões políticas ou religiosas, mas baseado em dados extraidos de estudos e pesquisas, que justificam o direcionamento de recursos públicos para o setor. O segmento de turismo religioso é o que mais cresce no mundo.

Levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisas da Universidade de São Paulo (USP) mostra que existem cerca de 15 milhões de brasileiros interessados em viagens religiosas e destinos religiosos.

De acordo com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), em 2010, 8,1 milhões de viagens domésticas no Brasil são motivadas pela fé, o que representa 3,6% de todas as viagens realizadas dentro do país.

As festas religiosas estão entre as mais fortes expressões da cultura brasileira. O segmento é classificado pelo Ministério do Turismo como um dos tipos de Turismo Cultural praticados no Brasil.

E dados do Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados em julho, explicam em parte o crescimento do segmento em Minas Gerais. Enquanto em todo o país o número de pessoas que se declarou católica caiu de 73,6%, em 2000, para 64,6%, em 2010 (queda de nove pontos percentuais), em Minas a diminuição foi menor, de 78,7% para 70,4% (-8,3 pontos percentuais).

A população católica na área rural mineira (84,8%) ficou acima da média nacional (77,8%). Já a população urbana católica também é maior no estado (67,9%) do que no país (62,1%).

Turismo religioso em Minas Gerais

De acordo com a Pesquisa de Demanda Turística realizada pela Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur), em 2011 os visitantes motivados pelo turismo religioso permanecem, em média, 2,6 dias no destino turístico. Pouco mais da metade se hospedou em hotéis e pousadas e teve um gasto médio diário de R$ 62,48.

Outras características definem melhor o perfil do turista religioso: 41% possuem renda familiar até R$ 2.000, a metade tem mais de 50 anos; 40% deles possuem Ensino Médio e quase 70% são originados do próprio estado de Minas.

O Programa Minas Recebe, implementado em 2009 em Minas Gerais, é uma iniciativa pioneira no Brasil, que tem o objetivo de fortalecer os receptivos locais, incentivar a formatação de novos produtos e roteiros e diversificar a oferta turística do Estado. Atualmente, 83 empresas de turismo receptivo participam do programa.

Desde sua implantação, mais de 30 novos produtos turísticos foram criados nos Circuitos Turísticos das Grutas, Serras do Sul de Minas, Canastra, Águas, Lago de Furnas e Lagos.

 

LEIA TAMBÉM:  Aparecida ganha novo Arcebispo, dom Orlando Brandes

Não deixe de ler também:

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado!