Por que a Viagens de Fé não vende turismo religioso?

Correio do leitor - dúvidas sobre turismo religiosoSr. Amadeu Castanho, boa tarde, tudo bem?

Como a maioria dos demais leitores e visitadores de vosso site, também resido em São Paulo, e gostaria de visitar o Santuário do Divino Pai Eterno em Trindade agora em outubro de 2014 juntamente com minha mãe.

Porém os senhores nos respondem que não conhecem empresas de ônibus ou pacotes turísticos que partam de São Paulo. Um sugestão: por que vossa empresa Viagens de Fé não nos proporciona esse presente? Ou também que façam convênios com outras empresas de turismo religioso?

Seria uma maravilha pra todos nós, pois nunca fui ao estado de Goiás, especificamente em Trindade, onde localiza-se o Santuário do Divino Pai Eterno.

Por gentileza, me respondam, pois minha mãe e eu estamos ansiosos para visitarmos essa maravilhosa obra do Divino Pai Eterno.

Fico aqui no aguardo.

Grato.

Atenciosamente,

Antonio José dos Santos

 

separador correio

Olá, Antonio.

Obrigado pela sua pergunta e por ler a Viagens de Fé.

A sua pergunta, além de oportuna, é muito interessante. E vai me permitir fazer um esclarecimento e um desabafo.

Não oferecemos esse tipo de serviço por diversos motivos:

Em primeiro lugar, por considerarmos eticamente condenável oferecer para os leitores os mesmos produtos e serviços sobre os quais escrevemos. Você imaginaria que eu fosse apontar defeitos em uma peregrinação ou romaria organizada pela minha empresa? Você teria confiança no que eu escrevo, sabendo que o meu objetivo é ganhar dinheiro com a venda de passagens, hospedagens, etc.?

Essa mesma pergunta já me foi feita várias vezes, mas nunca como comentário. A resposta, porém, não mudou. Continuo pensando que não é correto misturar o jornalismo com a venda de serviços turísticos para os nossos leitores. O conflito de interesses não é só externo, é interno, comigo mesmo. A minha preocupação é de passar a me preocupar mais com ganhar dinheiro como agente de turismo do que com informar os leitores e estimula-los a terem um encontro especial com Deus em uma viagem religiosa.

Quanto a fazer convênios com empresas de turismo religioso, além dos argumentos acima ainda iríamos ter um terceiro: sou muito exigente e responsável e não iria me sentir bem sendo o intermediário e/ou vinculando o bom nome da Viagens de Fé com serviços e produtos sobre os quais eu não teria controle algum.

A opção viável seria as empresas interessadas em oferecer os seus produtos e serviços para os nossos leitores anunciarem esses os seus produtos e serviços na Viagens de Fé. Só que isso não acontece. Diversas empresas já nos procuraram e já tomamos a iniciativa de procurar outras tantas, mas até hoje não houve uma só que tenha ao menos respondido a proposta de publicidade que recebeu.

Da mesma forma, recebemos praticamente todos os dias mensagens de e-mail e comentários de empresas e pessoas querendo divulgar gratuitamente o que fazem. Com certeza, elas reconhecem a Viagens de Fé como um meio válido para fazer publicidade, senão não se dariam ao trabalho de mandar e-mails e comentários, só que preferem fazer isso sem gastar. Gostaria de saber qual seria a reação dessas empresas e pessoas se nos propuséssemos a aproveitar dos seus serviços sem pagar.

Muitas outras nos ofereceram comissão na venda de seus produtos e serviços para os nossos leitores. Trocando em miúdos: elas querem fazer publicidade, expor as suas marcas e divulgar os seus produtos, mas não querem investir um real que seja para isso nem se interessam em apoiar a única publicação brasileira dedicada ao turismo religioso.

Diversas dizem que “já gastam muito com impressos, Correio e telefonia” e não têm verba para anunciar. Portanto, a minha resposta para elas tem sido: não temos interesse em sermos vendedores comissionados de ninguém. Nosso negócio é escrever sobre turismo religioso, não vendas de produtos e serviços de terceiros mediante comissão.

Em resumo, o apoio recebido de quem ganha dinheiro com turismo religioso é zero. A publicidade que você vê nas laterais das nossas páginas é mera retribuição de favores e atenções que recebi de empresas e pessoas que admiro e cujos produtos e serviços conheço.

Nunca consegui ganhar um centavo que fosse com a Viagens de Fé, que mantenho por estar convencido que junto com a inspiração para cria-la, Deus me confiou uma missão. Confesso que fraquejei diversas vezes desde que comecei, mas tive a graça de perseverar.

Para quem, como você, quer conhecer o Santuário do Divino Pai Eterno e não encontram uma excursão ou caravana, a minha sugestão é: vão por conta própria.

Mais ainda, vão de avião, que acaba custando praticamente a mesma coisa que de ônibus, é muito mais rápido, mais confortável e ainda parcela a passagem em até 10 vezes sem juros. De Goiânia a Trindade também há ônibus e vans e tanto Trindade como Goiânia oferecem uma boa variedade de hotéis.

Talvez você tenha um pouco mais de trabalho e gaste um pouco a mais, mas certamente vai poupar muito tempo e vai permitir que a sua mãe tenha uma viagem muito mais confortável.

Espero que você entenda a minha postura. Gostaria muito que muitas pessoas tivessem a oportunidade de visitar não só o Santuário do Divino Pai Eterno, mas também outros destinos religiosos, mas sou jornalista e não agente de turismo.

Façam uma boa viagem e que Deus os abençoe.

Amadeu

 

Não deixe de ler também:

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado!