Os Santos Missioneiros desconhecidos e o Turismo Jesuítico-Guarani

Ruínas jesuíticas de São Miguel das Missões, RS - Embratur

Ruínas jesuíticas de São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul

 

Os Santos Missioneiros destacam as Missões Jesuíticas como um roteiro de turismo religioso único no Sul do Brasil, oferecendo experiências que combinam espiritualidade e história.

As Missões são um roteiro turístico Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, único no Sul do Brasil em que os turistas têm experiências relacionadas à espiritualidade e à cultura.

Visitar as Missões é dar um mergulho na formação da América Latina. Hoje, o que restou desse grande projeto pode ser visto em uma visita ao Patrimônio Histórico Cultural da Humanidade de São Miguel das Missões, único do Sul do Brasil, além de outros sete locais missioneiros na parte brasileira.

Outras visitas imperdíveis são o Santuário do Caaró e Assunção do Ijuí, onde ocorreram os martírios dos Santos Missioneiros, locais de cura de câncer, motivo do processo que levou a canonização.

O ‘Caminho das Missões’ pode ser percorrido em roteiros de 3, 6, 8, 14 ou 28 dias a pé ou de bicicleta. Depois, o roteiro pode continuar do lado argentino e paraguaio, completando a visita turística aos 30 Povos, o Circuito Internacional das Missões Jesuítico-Guarani, que incluem sete patrimônios mundiais missioneiros.

 

Os Santos Missioneiros

 

Imagens dos "Santos Missioneiros"

Imagens dos Santos Missioneiros

 

O chamados Santos Missioneiros são três sacerdotes jesuítas martirizados junto com a população indígena, os padres Roque Gonzales de Santa Cruz,  Afonso Rodrigues e  João de Castilho.

Padre Roque Gonzales de Santa Cruz nasceu  em Assunção, no Paraguai, em 1576. Foi ordenado padre em 1599, com 22 anos de idade e logo foi nomeado cura da catedral de Assunção e, em 1609, Vigário-Geral da Diocese.

LEIA TAMBÉM:  Aparecida ou Aparecida do Norte, qual o nome correto?

Iniciou o noviciado na Companhia de Jesus em 1609 e se tornou jesuita oficialmente em 1619.
Em 1611, já emitidos seus primeiros votos, foi enviado à redução de Santo Inácio Guaçu.

Entre 1615 e 1627 fundou diversas reduções jesuíticas junto aos rios Paraguai e Uruguai, muitas das quais são hoje cidades na Argentina e no Paraguai. Em 1627 foi nomeado Superior Regional de todas as reduções da área do rio Uruguai.

Em 1628 fundou a redução de Nossa Senhora de Candelária do Caazapá-mini, entre os rios Piratini e Ijuí. Em agosto desse ano, fundou a redução de Assunção do Ijuí, onde ficou trabalhando o padre João de Castilho.

Em novembro de 1628, fundou a redução do Caaró, que dedicou a todos os santos mártires, especialmente aos três mártires do Japão: Paulo Miki, João de Goto e Diogo Chisai, da Companhia de Jesus.

 

Detalhe de crucifixo esculpido no território das Missões

Detalhe de crucifixo esculpido no território das Missões

Padre Afonso Rodrigues, o segundo Santo Missioneiro, nasceu em 1598 em Zamora, na Espanha. Ingressou em 1614 na Companhia de Jesus e foi enviado à América do Sul com outros trinta e sete companheiros, entre eles João de Castilho, em 1616. Chegou a Buenos Aires em fevereiro de 1617 e foi ordenado sacerdote em fins de 1623.

Seu primeiro ministério ocorreu entre os ferozes guaicurus às margens do Pilcomaio. Após, foi destinado à redução de Itapua, onde trabalhou até que pediu que fosse enviado a uma missão mais desafiadora. Juntamente com Roque Gonzales, Afonso Rodrigues lança as bases do Caaró em 1628.

Padre João de Castilho, o terceiro Santo Missioneiro, nasceu na Espanha em 1595 e iniciou seu noviciado na Companhia de Jesus em 1614, com 18 anos de idade. Chegou à América em 1617 e, depois de concluir os estudos de Filosofia, foi enviado para o Colégio da Conceição, no Chile.

LEIA TAMBÉM:  Hotel Ramada Viracopos é opção para quem vai a Aparecida

Foi ordenado sacerdote em 1625 e iniciou seu ministério na redução de São Nicolau, onde se aprofundou na língua guarani. Em agosto de 1628, ajudou Roque Gonzáles a fundar a redução de Assunção do Ijuí. Após dois meses e meio, Roque Gonzales o deixou para fundar Caaró.

Nesse mesmo ano, Roque Gonzales e Afonso Rodrigues foram martirizados em Caaró e João de Castilho em Assunção do Ijuí. Milagres passaram a ocorrer nos dois locais, especialmente de cura de câncer, o que foi fundamental no processo de canonização.

Em 28 de janeiro de 1934, o Papa Pio XI declarou a beatificação dos Três Mártires das Missões, e no dia 16 de maio de 1988, o Papa João Paulo II canonizou-os, declarando-os Santos oficialmente.

 

Baseado em artigo enviado pelo pesquisador gaúcho José Roberto de Oliveira, especialista em turismo nas Missões

Não deixe de ler também:

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado!