Festa dos Mártires de Cunhaú teve mais de 10 mil participantes

Festa dos Mártires de Cunhaú, em Canguaretama, RN, em julho de 2017

Milhares de fiéis participam da Festa dos Mártires de Cunhaú

 

Mais de dez mil fiéis participaram da Festa dos Mártires de Cunhaú, no município de Canguaretama, destino de turismo religioso no Rio Grande do Norte, só no último final semana.

Organizada pela Arquidiocese de Natal e pela Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Canguaretama, a festa faz parte dos preparativos para a canonização dos Mártires de Cunhaú de Uruaçu.

Os padres André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro, o leigo Mateus Moreira, que teve o coração arrancado pelas costas, e 27 outros leigos foram beatificados pelo Papa João Paulo II em março de 2000 em cerimônia na Praça de São Pedro, no Vaticano.

LEIA TAMBÉM:  Canonização de mártires reforça turismo religioso no RN

Agora, em cerimônia a ser presidida pelo Papa Francisco no dia 15 de outubro na Basílica de São Pedro, no Vaticano, eles passarão a ser considerados santos pela Igreja Católica.

Com a canonização, o culto aos novos santos deve impulsionar a visitação à Capela de Nossa Senhora das Candeias e ao Santuário Chama de Amor, em Canguaretama, e ao Monumento aos Mártires, em São Gonçalo do Amarante.

Com isso, o turismo religioso no Rio Grande do Norte, que já conta com importantes destinos e atrações,  deverá aumentar o seu destaque no cenário nacional.

 

Cunhaú e Uruaçu

 

Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho de Cunhaú, em Canguaretama, RN, onde foram assassinadios os Mártires de Cunhaú

Capela de Nossa Senhora das Candeias, em Canguaretama

 

Cunhaú é o nome da fazenda na área rural de Canguaretama onde ocorreu o primeiro dos dois massacres perpretados por soldados holandeses e indios tapuias.

Depois de surpreender o padre André de Soveral e sua congregação durante a celebração da Santa Missa na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho de Cunhaú, os invasores tentaram força-los a negar a fé católica e se converter ao protestantismo.

Como o seu desejo não foi atendido, a capela foi trancada por fora e seu ocupantes foram mortos com requintes de crueldade.

Meses mais tarde, outro massacre iria ocorrer em Uruaçu, pequena comunidade no município de São Gonçalo do Amarante, vizinho a Natal.

Dezenas de outras pessoas, entre as quais Ambrósio Francisco Ferro e o leigo Mateus Moreira, que teve o coração arrancado pelas costas, foram mortas pelos soldados holandeses e seus aliados enquanto participavam da Santa Missa.

LEIA TAMBÉM:  Santa Cruz cresce no turismo religioso com Santa Rita de Cássia
Festa dos Mártires de Cunhaú

 

Festa dos Mártires de Cunhaú, em Canguaretama, RN, em julho de 2017

Este ano marca os 370 anos do massacre de Cunhaú e a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, de Canguaretama, em parceria com a Arquidiocese de Natal, organizou uma celebração durante praticamente todo o mês para marcar a data, a Festa dos Mártires de Cunhaú.

No último domingo, 16 de julho, data em que o massacre fez 370 anos, a intensa programação reuniu cerca de dez mil fiéis no local no Campo dos Mártires, junto à Capela de Nossa Senhora das Candeias.

A programação começou às sete horas da manhã, quando centenas de ciclistas seguiram de Canguaretama para o Santuário Chama de Amor, localizado próximo à capela, na área da Fazenda Cunhaú.

 

Missa durante a Festa dos Mártires de Cunhaú, em Canguaretama, RN, em julho de 2017

Missa no Santuário Chama de Amor durante a Festa dos Mártires de Cunhaú

 

Depois de acolhimento, louvor, reza do terço, celebração da Santa Missa e Benção do Santíssimo, as atividades continuaram no Campo dos Mártires, com apresentação do padre Nunes, da paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Natal.

A seguir foi apresentada uma encenação do Morticínio do Cunhaú, que foi seguida pela celebração da Missa Solene dos Mártires, presidida por Dom Jaime Vieira Rocha, Arcebispo Metropolitano de Natal.

Festa dos Mártires de Cunhaú, em Canguaretama, RN, em julho de 2017

A Festa dos Mártires de Cunhaú será encerrada no dia 23 de julho com a celebração da Santa Missa no Santuário Chama de Amor, presidida pelo Padre Ânderson Marçal, da Comunidade Canção Nova, com oração de cura e libertação,

 

Não deixe de ler também:

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado!