Santa Cruz cresce no turismo religioso com Santa Rita de Cássia

Estátua de Santa Rita de Cássia, em Santa Cruz, RN, destino de turismo religioso

Santa Rita de Cássia e o turismo religioso alteraram a rotina e a economia da cidade de Santa Cruz, no interior do Rio Grande do Norte.

Antes um mero ponto de passagem na estrada que liga Natal à região do Seridó, Santa Cruz virou um importante destino de turismo religioso com a construção da estátua de Santa Rita de Cássia, de 56 metros de altura, e dos devotos da “santa das causas impossíveis”.

Durante a abertura da festa de Santa Rita de Cássia deste ano, os milhares de visitantes puderam comprovar como a fé pode transformar cidades, a exemplo do que aconteceu e acontece em outros grandes centros do turismo religioso.

Hotéis e restaurantes lotados, bem como o comércio de artigos religiosos e artesanato, entre outros serviços, fazem girar a economia local.

Lanchonetes, bares, supermercados, mercearias e prestadores de serviço de diversos tipos, como táxis e vans, são outro exemplo.

A tradicional festa de Santa Rita de Cássia se tornou o principal período de visitação e alterou a vida da cidade.

Só a procissão do dia de Santa Rita de Cássia, 22 de maio, foi acompanhada por mais de 100 mil pessoas, movimentando mais de 600 ônibus, conforme dados oficiais da PM, Bombeiros e Paróquia de Santa Rita de Cássia.

LEIA TAMBÉM:  Imagem gigante de Santa Rita agita o turismo religioso no Rio Grande do Norte

 

Com Santa Rita de Cássia, turismo religioso movimenta a economia

 

Visitantes aos pés da estátua de Santa Rita de Cássia, em Santa Cruz, RN, destino de turismo religioso - foto Mtur

Santa Cruz é um exemplo de como a parceria harmoniosa entre o poder público e a igreja pode criar em poucos anos um importante destino de turismo religioso.

Mais do que isso, vem se transformando em exemplo de como uma cidade deve tratar o turista, investindo em limpeza, sinalização, segurança e infraestrutura.

Atento à movimentação turística, o empresário Demontier Borges abriu um restaurante ao lado da antiga padaria. Ele chega a servir até duas mil refeições nos dias de maior movimento.

Por causa da demanda, o padeiro já decidiu que vai ampliar os negócios com foco no atendimento aos visitantes.

A Prefeitura local, com o apoio do Sebrae, do Senac e outras entidades, vem trabalhando para que outros empresários façam o mesmo, ao mesmo tempo em que investem na qualificação de mão de obra para trabalhar nos estabelecimentos existentes e nos que devem ser criados para fazer frente à demanda das centenas de milhares de visitantes.

LEIA TAMBÉM:  Santa Cruz investe no acolhimento de visitantes

 

Em São Paulo, a Basílica Nacional de Aparecida, maior santuário mariano do mundo, é um exemplo de como o turismo transforma a economia de um destino. São quase 12 milhões de visitas por ano.

Tudo começou aos poucos, há 300 anos, quando pescadores encontraram a imagem de Nossa Senhora Aparecida no Rio Paraíba do Sul.

Atualmente, o turismo movimenta 80% da economia local e de municípios vizinhos como Cachoeira Paulista e Guaratinguetá.

As duas cidades recebem, respectivamente, 2 milhões e 600 mil visitantes por ano, em função da Canção Nova e do santuário de Frei Galvão, primeiro santo brasileiro.

Um levantamento do movimento dos principais destinos de turismo religioso católico do Brasil feito pela Expotour Católica e da revista eletrônica Viagens de Fé revelou que o segmento atrai mais de 30 milhões de visitantes por ano.

“Temos mais de 300 destinos com oferta de turismo religioso, calendário de eventos e produtos prontos para comercialização”, explica Manoel Sidnésio, organizador da Expotour Católica e do Fórum Nacional de Turismo Religioso, eventos que ajudam a consolidar o segmento e a revelar novos destinos.

Para ele, o potencial econômico do turismo religioso, inclusive não cristão, ainda é pouco explorado. Santa Cruz é um exemplo embrionário de Juazeiro do Norte (CE) no passado.

Hoje, a cidade cearense da região do Cariri é um polo comercial, industrial, universitário e hospitalar que tem no turismo religioso um grande aliado do desenvolvimento regional.

 

Infraestrutura e atrações

 

O Ministério do Turismo apoia os destinos de turismo religioso com investimentos em infraestrutura, promoção e qualificação.

Um dos muitos exemplos é a construção de um teleférico em Santa Cruz, ligando a igreja matriz, no centro da cidade, ao alto do morro onde está a estátua de Santa Rita de Cássia.

Além de facilitar o acesso à atração, a novidade vai ajudar a atrair ainda mais visitantes para a cidade. As estações de embarque e desembarque já estão prontas e a etapa móvel do teleférico de 1,5 km está em fase de licitação. A previsão de investimento do Ministério na obra é de R$13 milhões.

A cidade também acaba de ganhar outro atrativo para os visitantes, o Museu Rural. Instalado em uma fazenda de casarão secular, o atrativo reúne mais de três mil peças sobre os costumes, o trabalho doméstico e a vida no campo.

No local, o turista desfruta do Parque da Borborema, um conjunto de atrativos voltados para o turismo rural e de aventura em sintonia com a preservação da natureza.

Confira mais informações sobre a importância de Santa Rita de Cpássia para o turismo religioso em Santa Cruz clicando aqui.

Não deixe de ler também:

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado!