Canonização de mártires reforça turismo religioso no RN

Mártires de Cunhaú e Uruaçu, os padres André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro e o leigo Mateus Moreira serão canonizados

Os padres André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro e o leigo Mateus Moreira

 

Preparando-se para a canonização dos mártires de Cunhaú e Uruaçu, o Rio Grande do Norte começa a realizar eventos que já servem como amostra de como os novos santos deverão impulsionar o turismo religioso no estado.

Presidida pelo Papa Francisco, a cerimônia de canonização está marcada para o dia 15 de outubro na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

A visitação dos locais relacionados aos martírios, nas cidades de Canguaretama e São Gonçalo do Amarante, certamente deverá crescer depois da proclamação dos novos santos.

Isso certamente também irá se refletir no aumento da visitação a outros destinos de turismo religiosio no estado, bem como no fluxo de visitantes a outros destinos na sua proximidade, como por exemplo Pipa, Tibau do Sul e Barra do Cunhaú, que suprem a carência de meios de hospedagem em Canguaretama.

 

Turismo religioso no Rio Grande do Norte

 

Imagem de Santa Rita, em Santa Cruz, RN - foto Canindé Soares

Imagem de Santa Rita, em Santa Cruz – foto Canindé Soares

 

O Rio Grande do Norte já tem um forte movimento de viagens de cunho religioso para destinos como Santa Cruz, onde se destaca a enorme imagem de Santa Rita; Patú e seu Santuário Nossa Senhora dos Impossíveis; Florânia e o Santuário Nossa Senhora das Graças e Carnaúba dos Dantas, com o Monte do Galo.

Natal, a capital do estado, tem um importante acervo de igrejas histórias e de grande importância, como a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação e a Catedral Metropolitana.

Graças ao empenho da Secretaria Municipal de Turismo e a visão do clero local, a cidade ganhou este ano dois bem montados circuitos de turismo religioso.

LEIA TAMBÉM:  Santa Cruz cresce no turismo religioso com Santa Rita de Cássia

 

Mártires de Cunhaú e Uruaçu

 

Monumento aos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, em São Gonçalo do Amarante, RN - foto Canindé Soares

Monumento aos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, em São Gonçalo do Amarante – foto: Canindé Soares

 

Em massacres realizados por forças holandesas em julho e outubro de 1645, mais de 80 pessoas foram assassinadas com requintes de crueldade por se negarem a abandonar a fé católica.

Trinta delas foram martirizadas, entre as quais os padres André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro e o leigo Mateus Moreira, que teve o coração arrancado pelas costas.

A maioria das vítimas foi trancada dentro de igrejas, que foram incendiadas por invasores holandeses.

O primeiro massacre aconteceu na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho de Cunhaú, em Canguaretama, cidade a cerca de 65 km de Natal. Restaurada e preservada, essa capela deve se tornar um importante polo de turismo religioso.

LEIA TAMBÉM:  Natal vai ganhar roteiro de turismo religioso

O segundo teve lugar em Uruaçu, pequena comunidade do município de São Gonçalo do Amarante, vizinho a Natal. A capela original não existe mais e foi substituída pelo moderno Monumento aos Mártires, inaugurado em 2000.

Os trinta mártires foram beatificados em março de 2000, durante cerimônia presidida pelo papa João Paulo II na Praça de São Pedro, no Vaticano.

Mateus Moreira, que antes de morrer exclamou “Louvado seja o Santíssimo Sacramento”, foi declarado patrono dos Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística.

 

Canguaretama

 

Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho de Cunhaú, em Canguaretama, RN, onde foram assassinadios os Mártires de Cunhaú

Capela de Nossa Senhora das Candeias, em Canguaretama

 

Cartaz da Festa dos Mártires de Cunhaú, em Canguaretama, RN - 2017Em Canguaretama, além da Capela de Nossa Senhora das Candeias, outra atração de turismo religioso é o Santuário Chama de Amor, que também fica na Fazenda Cunhaú.

O padre José Pereira da Silva Neto (mais conhecido como Padre Neto), administrador paroquial de Canguaretama, tem se esforçado por melhorar a estrutura de acolhimento aos visitantes e em melhorar a Capela e o Santuário.

Este ano, por exemplo, graças a uma parceria com a Prefeitura da cidade, a Capela de Nossa Senhora das Candeias passou a contar com um profissional de plantão.

Uma série de eventos também vem sendo organizada, a exemplo da Festa dos Mártires de Cunhaú, que durante todo o mês de julho lembrou os 372 anos do morticínio em Cunhaú, bem como comemorou os 159 anos da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Canguaretama.

 

LEIA TAMBÉM:  Festa dos Mártires de Cunhaú teve mais de 10 mil participantes

Não deixe de ler também:

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado!